quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Legend of Zelda: The Ocarina of Time - 15 anos depois

"The Legend of Zelda: A Link to the Past" é um dos meus jogos favoritos de todos os tempos. Não, sério, como eu joguei essa porra. Quantos fins de semana eu aluguei o jogo (eram assim que nós rolávamos naquela época) e jogava até conseguir o Magic Mirror, virar coelho e não saber como seguir dali. Naquela época não havia internet e revistas com detonados eram raridade porque uma vez que passava o mês de lançamento ela sumia das bancas e perdeu preiboi.

Lembro de uma vez que como presente de aniversário eu pude alugar quatro, eu disse QUATRO jogos de uma vez. Foi a apoteose nerdica e eu aluguei quatro entre os meus favoritos de todos os tempos: Vegas Stakes, The Legend of Zelda, Super Metroid e Goof Troop (me julguem). Aquele final de semana foi louco.

Seja como for, depois do Super Nintendo eu não viria a ter videogame novamente até a época do PS2, de modo que eu nunca realmente joguei nenhum jogo do Nintendo 64 e muito menos a sequencia de Zelda, o tal do Ocarina of Time. Não que seja uma sequencia no sentido tracional da palavra, é mais um reboot. Ok, não exatamente, mas a cronologia da série é tão confusa quanto a prestação de contas da Dilma - com efeito Zelda disputa na unha com Kingdom Hearts a pecha de história mais confusa dos videogames.

E não  apenas isso mas Ocarina of Time é considerado por muitas listas como o melhor jogo de todos os tempos. Tipo o melhor do melhor do oeste.

Então recapitulando: o sucessor de um dos jogos mais queridos da minha infância é uma versão hypada pra caralho, em 3D e pela qual eu não tenho como ter nenhuma memória nostálgica? Puta que pariu, o adolescente revoltz dentro de mim chegou a vibrar com a possibilidade de quebrar as pernas da internet. A primeira coisa que eu pensei é: vou detonar esse joguinho de fanboy babaca, vou chegar esmerilhando porque ficou quicando dentro da área. é hoje que eu me consagro!

E foi assim que apenas em 2015 que eu joguei pela primeira vez The Legend of Zelda: Ocarina of Time.

VAMOS CHEGAR CHEGANDO: DETONANDO OS GRÁFICOS

Falar mal dos gráficos de um jogo de 15 anos atrás não é sequer uma questão, por mais que você queira avacalhar o jogo. O que pode ser analisado é se os gráficos são bons para a época e se eles não quebram a imersão do jogo. O que com muita satisfação eu posso responder que...