domingo, 4 de junho de 2017

[AÇÃO GAMES 007] DICK TRACY (Mega Drive)



Quando se trata de Dick Tracy e videogames, as pessoas geralmente pensam no jogo NES desenvolvido pela Bandai porque ... bem, porque estamos falando de um dos piores jogos da história dos videogames imortalizado pelo Angry Video Game Nerd. 

Infelizmente para o Dick Tracy, as pessoas escolheram o pior título possível pois há um jogo muito, muito melhor baseado na propriedade para o principal concorrente da Nintendo, no Mega Drive. Claro, ser "muito muito melhor" que um dos piores jogos da história da humanidade não é tão lá grande coisa, mas vamos que vamos, né?




Normalmente quando se trata de escolher entre um jogo lançado no videogame da Sega ou da Nintendo, você fica com a Nintendo (exceto algumas aberrações, tipo oi "Capitão America e os avengers"). Dick Tracy é um jogo que vai contra essa tendência e não é apenas um jogo que mostrou o quão mais poderoso que Genesis foi sobre o NES, mas é um jo de scroll lateral bem interesante

Inicialmente Dick Tracy se parece com qualquer outro jogo baseado em filmes dos anos 90: um jogo de ação de rolagem lateral onde você se move da esquerda para a direita despachando os bandidos, e você ficaria meio certo, é mesmo isso o que é o jogo.

Porém há um toque diferencial: os inimigos não só vêm de você da sua esquerda e direita, mas também do fundo. Na maioria dos níveis, Dick tem duas armas, uma pistola e uma Tommy Gun, sendo a primeira usada para inimigos no seu caminho imediato e a segunda para os que estão no fundo. Ao pressionar o botão para a metralhadora você pára de se mover e controla um cursor para atirar nos caras de cima. Pense em um scroller lateral misturado com The Punisher no NES e você estaria no caminho certo, ou mesmo Blade no GBC com mais mobilidade. 



Dick Tracy não tenta ser, ouso dizer, tão ambicioso ou fiel ao material de origem como o jogo de Bandai, mas considerando o quão fracassado é o jogo do NES, eu diria que socar bandidos e atirar com metralhadoras dos anos 20 está mais do que bom

Agora o que torna este jogo interessante é a variedade da jogabilidade ao longo do jogo, introduzindo novos gameplays ao longo das fases. Na fase um as coisas parecem muito simples com inimigos na planície esquerda e direita, basta abaixar e atirar. A principal ameaça só vem dos inimigos no fundo. Em alguns você não tem uma arma e tem que repensar todas as suas táticas.
Ok, a ação é legal e tudo mais, mas...
pq ele anda assim em um carro em movimento?
E então para quebrar o ritmo em algumas os socos e tiroteios são níveis em que você anda grudado na lateral de um carro da polícia, onde a mecânica é ampliada. Nessas etapas, você precisa aprender a andar ao longo do topo do seu carro ou usá-lo como cobertura contra inimigos disparando de carros no fundo. Isso, claro, também é misturado com mafiosos tanto na frente quanto atrás de você disparando alto e baixo.

Após os estágios de rodagem e de rolagem, você se depara com chefes sob a forma de personagens do filme como Flattop, Prunceface e eventualmente Big Boy. Muito parecido com os estágios, começam muito fáceis de terminar mas ficam brutalmente difíceis em relação ao final do jogo. 

Você ainda está lidando com capangas durante todo o tempo enquanto luta contra os chefes que possuem armas poderosas como granadas que podem fazer cair os destroços em cima de você ou sua própria versão da sua Tommy Gun que é realmente complicada de esquivar.

Dick Tracy seria um dos jogos mais memoraveis do Mega Drive se não fosse, adivinhem só, o problema da dificuldade do jogo. O jogo é brutalmente difícil mesmo na dificuldade fácil. Mesmo com os reflexos de um coreano o jogo é desnecessariamente dificil e mais para frente repleto de insta-kills de plataformas ridiculamente baratas. Dick Tracy não é o mais agil dos protagonistas de videogame e, mesmo quando você está acelerando ao lado de um carro de polícia sendo atingido de todos os ângulos possíveis, você sente que está se movendo no ritmo de um caracol, como evidenciado pelo seu medidor de progresso

Destruir o cenário é divertido hoje, era divertido nos anos 90,
será divertido amanhã. Destruiçãaaaaoooo!!!
O que provavelmente também não ajuda isso é que Dick Tracy não é tão interessante de se olhar com muitos dos estágios tendendo a parecer o mesmo apenas com diferentes edifícios coloridos ou um armazém.

Problemas à parte, eu não sabia no que estava me metendo quando coloquei Dick Tracy no emulador, e fiquei agradavelmente surpreendido por um jogo com do qual ninguém estava realmente falando. Ter que lidar com os inimigos em segundo plano com a sua Tommy Gun é uma ótima mecânica e o jogo faz um bom trabalho de introduzir lentamente novas maneiras de manter a ação fresca e não sobrecarregar o jogador desde o início, embora a dificuldade possa ficar bastante extrema bem rápido. 

E, como eu disse, quando a comparação é um dos piores jogos da história dos videogames... bem, esse jogo de Mega Drive não parece tão ruim assim, né?

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário