sábado, 25 de março de 2017

[AÇÃO GAMES 001] GREMLINS 2: THE NEW BATCH (NES, 1990)




Adaptações de filmes para jogos costumam ser tão ruins quanto adaptações de jogos para filmes, embora aqui o motivo é mais fácil de entender: já que a porra vai vender só pelo nome, pra que colocar esforço, né?


Gremlins 2 é um dos filmes favoritos da minha infancia, eu devo ter assistido essa porra no Cinema em Casa um quasilhão de vezes (ao contrário do 1, que só assisti uma vez na Sessão da Tarde e tive pesadelos depois). Curiosamente, esse jogo era um dos que tinha na locadora do meu bairro só que eu nunca dei muita bola pra ele quando criança. Então? Bem...

... PUTAQUEMEPARIUEMCHAMASHOLISTICAS, QUE JOGO LEGAL!

Sério, ele é surpreendentemente divertido. Os gráficos são excelentes para Nintendinho, a trilha sonora e as fases do jogo são realmente baseadas no filme (algo raro para a época) mas sem tentar recriar o filme realmente. O que é ótimo! Os controles são altamente responsivos, matar coisas é divertido e o jogo não abusa de truque baratos para se tornar mais dificil do que ele realmente é.




Comece o jogo e você obtém um pequeno filme que mostra o Gizmo sendo liberado por seu dono anterior, Billy, no prédio de escritórios em que ele trabalha. Continuando a ser o dono irresponsável, que ele sempre foi, não demora muito antes de Gizmo se molhar fazendo com que seus irmãos do mal nasçam. Assim, começando o objetivo do Gizmo de destruir todos os gremlins que ele criou no caminho.

  Embora não haja muitas, as cutscenes no jogo estão realmente bem feitas. Eu acho que não deveria vir como uma grande surpresa porque este é o Sunsoft da qual estamos falando aqui, mas é sempre uma boa coisa ve-la em qualquer jogo do NES.



Esta é, naturalmente, uma versão muito mais condensada do enredo real do filme, mas pelo menos eles tentaram segui-lo um pouco, o que é mais do que você pode dizer na maioria dos jogos NES com base em filmes. Depois que as cutscenes desaparecem, é hora de assumir o controle de Mogwai favorito de todos.
 

Entrando no jogo e você imediatamente assume o controle do Gizmo em uma visão de cima. Gizmo pode se mover e disparar sua arma em qualquer direção em que você possa apontar, embora ele definitivamente pareça mais controlável quando você não tenta usar as diagonais. Falando em armas, Gizmo começa o jogo com nada além de um tomate para lançar inimigos, que é tão eficaz como provavelmente soa, ou seja, não muito. Não só ele tem um arco de disparo estranho, mas só fica a cerca poucos pixels na sua frente, tornando mais eficaz apenas esquivar a maioria dos inimigos do que realmente tentar matá-los.



Dois minutos após o jogo e já estamos jogando tomates em adereços baratos de halloween. Isso não parece um bom sinal...   

Felizmente, as coisas melhoram no departamento de armas no final de cada duas etapas, já que o Gizmo receberá uma nova arma para usar nos próximos níveis, como fósforos e clipes, até obter o arco e a flecha flamejantes classicos do filme que fica até o final do jogo. 


Embora nenhuma das armas iniciais de cada fase seja muito boa, você pode upgradea-las para versões muito mais úteis na loja de itens que pode ser encontrada explorando cada fase. As armas mais potentes definitivamente tornam as coisas muito mais fáceis, mas fácil não seja talvez a palavra porque é apenas uma questão de quanto tempo você pode permanecer vivo enquanto você as possui. Além do poder das armas, o velho chinês na loja também tem algumas outras coisas para ajudá-lo, como um balão que permite que você flutue pelas seções difíceis de salto dificeis, uma vida extra ou uma recarga completa das energias.

 


Esta é a tela da loja onde Dumbledore vende as coisas que você pode comprar. Porque ele tem uma loja de itens dentro de um buraco de rato em um shopping center é algo apenas poderemos imaginar, contudo.

Encontrar a loja torna-se vital durante o decorrer do jogo, pois lhe dá o único item no jogo capaz de restaurar sua saúde, o que você precisará ... muito. Infelizmente, a loja só pode ser usada uma vez e você só pode comprar um item por vez, não importa o quanto você tenha dinheiro. Então escolha sabiamente.

Uma vez que você tenha pegado o básico, guiar Gizmo em cada nível é bastante direto. Os próprios níveis são principalmente lineares, com os únicos caminhos de ramificação que geralmente levam à loja acima mencionada. Preenchendo os níveis iniciais do jogo existe um monte inimigos genéricos de jogos de NES, rejeitados como morcegos, aranhas e tomates saltitantes (o favoritos de todos).





Sim, eu sei que é uma referência ao filme, mas sério gente. Quando você literalmente tem um filme inteiro preenchido com grandes idéias para inimigos e ESTE é o que você escolheu, aí complica.

Felizmente, uma variedade de Gremlins eventualmente aparece para tornar as coisas um pouco mais interessantes, embora bem poucos tipos deles durante o jogo. Você encontra alguns Gremlins específicos do filme fazendo uma participação, como o gremlin flamejante, e o gremlin de skate que lança bombas e o Gremlin elétrico do final. Você também enfrenta chefes Gremlins no final de cada dois estágios começando pelo estágio 2-3. Os próprios chefes não são muito difíceis, o maior desafio é chegar a eles com mais de um coração à sua disposição, já que o jogo é um cuzão por não te dar energia extra durante a fase.






As batalhas do chefe são o destaque do jogo. Não só todos elas ficaram ótimas, mas são inspiradas em momentos do filme.

Se você morrer no chefe, então você será enviado de volta ao estágio anterior para fazer tudo de novo antes de receber outra chance no chefe. Felizmente, os padrões dos chefes são tão fáceis de memorizar que não deve demorar mais do que algumas vezes para passar mesmo que você não tenha mais vida quando chegar a eles.

O maior problema do jogo é o quão apelativos as fases podem ser. Não, sério, olha pra isso, mas olha só uma coisa dessas:



 



 Uau, não querem colocar uns tubarões com lasers e espinhos que descem do teto também?

De longe, o maior pecado que comete o jogo é as seções de plataformas insanas. Enquanto os primeiros estágios lançam alguns saltos e plataformas para você, nada pode se comparar com a insanidade depois disso. Algumas dessas seções são quase impossíveis, com múltiplos perigos e saltos que o pobre Gizmo simplesmente não é capaz de fazer a menos que você tenha os controles 100% dominados. E mesmo se você fizer isso, a colocação aleatória de alguns dos inimigos podem derrubá-lo no abismo mesmo que você seja o mestre do jogo. Combine isso com o movimento já nervoso do Gizmo, e isso se transforma em um teste de força de vontade após um tempo.  



Lembra um pouco Battletoads que as primeiras fases são ultra divertidas, mas então em determinado ponto o jogo diz "TOMATE NA SUA BLUSA" e não te deixa mais jogar. Claro, Gremlins é melhor que Battletoads, mas você entendeu a ideia. 

Por outro lado, o jogo te dá continues infinitos e passwords, então a dificuldade é balanceada por ferramentas justas. Ok, eu posso viver com isso.



Ah sim, tem uma coisa muito boa nesse jogo também que todos os jogos de filme deveriam ter: ele tem um subtítulo ("A new batch") diferente do filme, o que torna uma maravilha de pesquisar sobre ele sem ficar esbarrando em resultados sobre o filme!

Nenhum comentário:

Postar um comentário